Notícias

CEO da OceanPact participa de seminário do INPO sobre oceano e mudanças climáticas

Os desafios e alternativas para a transição energética nas embarcações de apoio marítimo da indústria de óleo e gás foram destaque em palestra do CEO da OceanPact, Flavio Andrade, durante o seminário “Oceano e Mudanças Climáticas”, realizado pelo Instituto Nacional de Pesquisas Oceânicas (INPO) nos dias 21 e 22 de maio, no Rio.

Flavio ressaltou que o Brasil hoje conta com uma frota de 435 embarcações movidas a diesel, e lembrou que a vida útil de navios é de cerca de 30 anos – podendo ser estendida – e que a idade média da frota nacional é de 15 anos atualmente.

“No curto prazo pensamos em combustíveis de aplicação imediata, como o HVO (óleo vegetal hidrogenado), cujo valor ainda é acima do diesel, mas já vem caindo. Barcos menores não tripulados também são alternativas”, disse.

Ele também falou da importância do carbono azul para o cumprimento dos compromissos assumidos pelo Brasil no Acordo de Paris: “Iniciativas e soluções baseadas na natureza, como o reflorestamento de manguezais e o uso de algas para a captura de carbono, protegem a biodiversidade marinha e aumentam a resiliência de ecossistemas costeiros contra os impactos das mudanças climáticas”, afirmou.

O CEO da OceanPact destacou a pesquisa e tecnologia como frentes de ação para a transição energética no setor marítimo: “Conhecer e prever correntes marítimas, ventos e ondas nos ajuda a identificar janelas operacionais que refletem eficiência operacional, redução do consumo de combustível e, consequentemente, de emissões”.

Com moderação do professor Segen Estefen, do INPO, o painel sobre Transição Energética também contou com a participação de Roberto Schaeffer, do COPPE/UFRJ; Osvaldo Saavedra, do Instituto Nacional de Energias Oceânicas e Fluviais (INEOF); e de Carlos Moura, do Instituto SENAl de Inovação.

Realizado com apoio da OceanPact, o seminário “Oceano e Mudanças Climáticas” reuniu cientistas, especialistas, empresários e gestores para discutir e propor ações técnicas e científicas que identifiquem e orientem opções de adaptação às mudanças climáticas no Brasil, focando nas Ciências Oceânicas. Os diretores da OceanPact Érik Cunha, Adriano Ranieri, Fernando Borensztein, Mauricio Latado e Ana Lyra, e o gerente Carlos Leandro, prestigiaram o evento.