Notícias

OceanPact discute transição energética e inovação no Seminário Ação Ambiental da Firjan

O Seminário Ação Ambiental de 2021 aconteceu entre os dias 7 e 10 de dezembro e teve como tema Economia Azul: um mar de oportunidades para o desenvolvimento sustentável. O evento promovido pela Federação das Indústrias do Rio de Janeiro – Firjan desde 2013 fomenta o debate por meio de palestras de profissionais experientes e reconhecidos em suas respectivas áreas de atuação. O Diretor Comercial da OceanPact, Érik Cunha, tomou parte na cerimônia de abertura; e no dia 8 de dezembro, o Diretor de Sustentabilidade da Companhia, Fernando Borensztein, se apresentou no painel ‘Mudanças climáticas e oceano’.

A nona edição do seminário recebeu o patrocínio da OceanPact e teve como público-alvo empresários, formadores de opinião e a sociedade em geral. Durante a abertura, Érik Cunha disse que o atual momento é ótimo para tratar da economia azul. Assim como a Firjan, a Companhia é signatária do Pacto Global e também adota e propaga os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável propostos pela ONU, especialmente o ODS 14, que fala sobre a vida na água.

“Sabemos que os eventos climáticos extremos têm se intensificado e trazem desafios novos para todas as cidades e populações costeiras, como é o caso do Rio de Janeiro. A acidificação dos oceanos é uma ameaça para a manutenção do equilíbrio e da biodiversidade, principalmente dos recifes de coral, berçários de diversas espécies marinhas. Temos acompanhado essa mudança pelos trabalhos de monitoramento ambiental e de mapeamento do fundo do mar”, alertou Érik Cunha em seu discurso de abertura. E completou: “Nós trabalhamos pelo uso sustentável dos oceanos e, por isso, fazemos nosso próprio inventário das emissões de gases do efeito estufa, financiando diversos projetos para a redução das emissões. O Seminário Ação Ambiental de 2021 se alinha diretamente com os princípios de sustentabilidade e inovação da OceanPact”.

Em sua palestra sobre os desafios e oportunidades de descarbonização das atividades no mar, Fernando Borensztein abordou a sustentabilidade no contexto da transição energética e como ela se insere no âmbito das mudanças climáticas. E apresentou diversas iniciativas para a diminuição da intensidade de carbono nas atividades marítimas, tais como a substituição dos combustíveis fósseis por alternativas mais limpas; o aumento da eficiência energética e a consequente redução da demanda de combustíveis nas atividades; as iniciativas relacionadas à captura de carbono; e a geração de energias renováveis no mar, além do papel desempenhado pela inovação em todas essas frentes.

“Mais de 70% das emissões de gases de efeito estufa são provenientes do setor de energia, e é preciso discutir como a sociedade vem enfrentando os desafios do fornecimento de cada vez mais energia, e ao mesmo tempo diminuir a emissão de carbono”, explicou o Diretor de Sustentabilidade da OceanPact. A empresa mantém contato com os centros de desenvolvimento de novas tecnologias em todo o mundo e investe constantemente em pesquisa, de maneira a incentivar o avanço da economia azul. Ao final de sua exposição, Fernando apresentou um projeto implementado pela Companhia no Rio de Janeiro, focado no replantio de vegetação de manguezal na APA de Guapi-Mirim, na Baía da Guanabara.