Notícias

OceanPact estrutura pedido de licenciamento ambiental no nordeste

Companhia e suas subsidiárias Witt O’Brien’s e OceanPact Geociências participaram de todas as etapas exigidas pelo Ibama, que concedeu licença à operadora de óleo e gás

A OceanPact planejou, desenvolveu e executou todas as etapas do processo de licenciamento ambiental de uma operadora de óleo e gás para atividade de perfuração de poços exploratórios, no Nordeste. A liberação da licença foi concedida pelo Ibama na última semana.

Desde a abertura do processo administrativo no Ibama até a Avaliação Pré-Operacional (APO), realizada pelo órgão ambiental em um simulado de derramamento de óleo no rio Japaratuba, em Aracaju (SE), a OceanPact e suas subsidiárias trabalharam ativamente, inclusive disponibilizando equipamentos especializados para combate a derramamento de óleo e proteção à costa.

De grande porte, o exercício simulado envolveu 196 pescadores e mão de obra local, 55 especialistas da OceanPact e da Witt O’Brien’s, além de técnicos da operadora e autoridades. Foram mobilizados 40 barcos de pescadores locais, oito embarcações da OceanPact, quatro recolhedores de óleo, e 9,3 mil metros de barreiras de combate a derramamento de óleo no mar.  De forma inédita, o simulado foi transmitido em tempo real por internet, com imagens capturadas por drones e câmera móvel, além de rastreadores colocados nas embarcações de pesca para monitoramento via VTS.

Etapas Licenciamento

No início do processo para obtenção da Licença de Operação do Ibama, a coleta primária de dados ambientais e geotécnicos foi executada por navio oceanográfico da OceanPact Geociências. Uma equipe composta por biólogos, químicos e oceanógrafos inspecionou o fundo marinho a partir da captura de mais de 70 imagens feita por câmeras projetadas para águas profundas. Também foram recolhidas e analisadas cerca de 100 amostras de água e sedimentos. As etapas seguintes consistiram no desenvolvimento do Estudo de Impacto Ambiental (EIA/RIMA), na condução da audiência pública, na preparação para resposta a derramamento de óleo no mar, e na realização do APO.

Nos últimos seis meses, profissionais especializados da OceanPact e de sua subsidiária Witt O’Brien’s foram ao litoral dos estados de SE, AL e norte da BA para avaliar as características socioambientais e logísticas para o desenvolvimento de Planos Táticos de Resposta para cada área sensível dessa região. Foram realizados desde o mapeamento e engajamento de partes interessadas (autoridades, unidades de conservação, lideranças de pesca e da comunidade local), até o cadastramento e treinamento de embarcações de pesca que poderiam ser contratadas para auxiliar em uma eventual resposta a derramamento de óleo no mar. Ao todo, 1.263 moradores locais e 243 embarcações foram envolvidos nos treinamentos de Proteção da Costa e Limpeza de Praia.

Campanha exploratória

A OceanPact e a Witt O’Brien’s permanecerão mobilizadas durante a campanha exploratória da operadora, com 21 profissionais especializados em prontidão, 7 dias na semana, 24 horas por dia, para mobilização imediata caso ocorra derramamento de óleo no mar.

Um OSRV (Oil Spill Recovery Vessel) com 65 metros de comprimento e capacidade para 1500 m³ de óleo recolhido do mar está dedicado à campanha, e cinco outras embarcações de apoio offshore estão equipadas com current buster 6 para combate a derramamento de óleo.

Uma base, estrategicamente instalada em Maceió (AL), está equipada com mais de 13 mil metros de barreiras, recolhedores de óleo, tanques flutuantes e terrestres, embarcações de suporte, veículos 4×4 e quadriciclos.

Além dos recursos dedicados à campanha exploratória, a OceanPact pode mobilizar recursos adicionais de suas bases portuárias e offshore. A companhia tem condições de disponibilizar mais 37 mil metros de barreira de contenção de óleo, 29 current busters, 140 powerpacks e 135 recolhedores de óleo de alta capacidade.